Blog do Maria

28/11/2009

Duas perguntas e um alerta

PERGUNTAS:

1 - Quem será o líder ao final desta rodada?

2 - Botafogo terminará o domingo fora da zona de rebaixamento?

ALERTA:

Estimados jogadores: cuidado com as lâmpadas dos jardins para não desfalcarem suas respectivas equipes na rodada final do Brasileiro. Queimar o pé, "não pode"!!!

Por Maria às 11h49

27/11/2009

Imperador está com o pé queimado

 

Dizem que certas coisas só acontecem com o Botafogo.  Pelo visto, é quase verdade. Porque isso vale para todos os clubes. Olha o Flamengo. Perdeu Adriano para este importante jogo contra o Corinthians,  porque o artilheiro do Campeonato Brasileiro está com o pé queimado. Que lâmpada danada, Imperador. Se fosse por torção do tornozelo, fisgada em algum músculo ou problema no joelho eu conseguiria entender. Agora, ficar sem um jogador como Adriano porque ele queimou o pé numa lâmpada do jardim da casa é dose para leão. Fico pensando cá com os meus botões. Como é que uma pessoa queima  pé com uma lâmpada? Não vou duvidar dele, mas eu nunca vi. Eu já queimei a ponta do dedo ao tentar girar um lâmpada que ainda estava quente. Mas ficou só no: "aaaaaaiiiiiii..."  Meti o dedo na água gelada e,  pronto. Não deixei de teclar no computador. 

Azar do Flamengo. Ah... outra coisa, coloquei a foto pq no meu tempo, "pé queimado" tinha um outro sentido.  Agora, que o Imperador com o pé queimado, isso ele ... 

Ôôôôôô... psiu... torcida do Flamengo vê se não "queima" Bruno Mezenga, o substituto de Adriano que tá chegando agora.

 

Por Maria às 23h31

26/11/2009

A matemática e a altitude

Pelo que tenho lido nos comentários enviados a mim, a maioria discorda que a altitude não foi determinante para o resultado LDU 5 x 1 Fluminense, porque o que faltou mesmo aos tricolores foi "atitude". Então, resolvi olhar os resultados das eliminatórias para a Copa de 2006, na Alemanha, e os repasso aos queridos amigos: Jogos em Quito, lá em cima do morro: Equador 2 x 1 Colômbia; Equador   2 x 0 Argentina; Equador   5 x 2 Paraguai; Equador 1 x 0 Brasil; Equador   2 x 0 Chile; Equador   3 x 2 Bolívia; Equador  2 x 0 Venezuela; Equador  0 x 0 Uruguai e Equador  0 x 0 Peru.  Em casa foram conquistados 23 pontos (sete vitórias e dois empates, campanha invicta). Jogos de volta: à exceção da partida com a Bolívia, em La Paz, todos ao nível do mar: Brasil 1 x 0 Equador ; Paraguai 2 x 1 Equador ; Argentina 1 x 0 Equador; Uruguai 1 x 0 Equador ; Venezuela 3 x 1 Equador ; Peru 2 x 2 Equador ; Colômbia 3 x 0 Equador ; Bolívia 1 x 2 Equador ; e Chile 0 x 0 Equador

Com 28 pontos o Equador terminou em terceiro, atrás apenas de Brasil e Argentina. Ao nível do mar, o Equador não ganhou nenhuma partida, conseguiu apenas dois empates. Mas quero deixar claro que considero o futebol equatoriano de bom nível técnico, apenas se torna quase  imbatível quando os jogos são disputados na altitude.

Por Maria às 18h49

Seu Edevair: "Em algum lugar do estádio"

Claro que seu Edevair, o pai do Baixinho, estava em algum lugar do estádio de Edson Passos. Com aquele olhar suave e tomado de emoção, ele comemorou o retorno do seu querido América à elite do futebol do Rio e o título da Segundona ao derrotar o Artsul por 2 a 0. E é claro que ficou ainda mais emocionado quando Romário, aos 22 minutos do segundo tempo, vestindo aquela camisa vermelha como um dia lhe prometera, entrou em campo delirantemente aclamado pela torcida americana.

Conheço bem o Baixinho, de quem sou fã e admirador. E sei exatamente o que deve ter passado na cabeça dele naquele momento e, certamente, até agora.  Era visível sua emoção.E mesmo sem fazer gol,  Romáro foi o dono do espetáculo.

Seu Edevair acompanhou cada passo, cada gesto do filho. Terminada aquela grande festa,  ele voltou para o seu cantinho muito acima das nuvens e habitado por gente da mais alta qualidade.

Por Maria às 11h56

Altitude 5 x 1 Fluminense

O Fluminense foi goleado por 5 a 1 pelo LDU e sua situação na Copa Sul-Americana é muito difícil.. Mas não poderia ser diferente. Jogar a 2.850m é muito difícil para um time que entra em campo sem estar adaptado a altitude. Tem gente que não leva esse fator em conta e afirma que o problema é muito mais psicológico. Mas só quem entra em campo e tem que correr atrás  da bola é que sabe. Para piorar, a pressão vivida nesta fase final do Brasileiro, tendo que vencer a qualquer custo para se livrar do rebaixamento, certamente tem desgastado os jogadores.

 

 Acho até que o Fluminense foi um time valente. Tão valente que começou o jogo acreditanto e partindo para cima do LDU. Tanto que marcou seu gol antes do primeiro minuto, mais precisamente, aos  20s de jogo. E não se poupou em momento algum, mas chegou um momento que não deu mais, cansou. E, em razão disso e da própria velocidade da bola, contribuíram para o time carioca sofrer cinco gols. Cientificamente, para se adaptar à altiude são necessários permancer 21 dias no local da partida e isso é impossível, irreal.

 

A vantagem da equipe equatoriana para a decisão da Copa Sul-Americana, quarta-feira, no Maracanã, é grande. O Fluminense  precisará vencer por cinco gols de diferença ou quatro para provocar uma prorrogação de 30 minutos. Se houver empate neste tempo exra,  o título será decidido através da cobrança de pênaltis. E não se pode esquecer que o LDU sabe jogar.

 

A maratona tricolor continua. Mas, o importante agora é o Fluminense pensar apenas no jogo contra o Vitória, domingo, no Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro. Se vencer dará um bom passo para permanecer na Série A.

Por Maria às 00h20

25/11/2009

Trabalho em ritmo olímpico, mãos à obra

O prazo de duas semanas estabelecido  pelo COB para que  as confederações olímpicas apresentem um plano completo de trabalho até as Olimpíadas de 2016, ou seja, o que será feito nestes próximos sete anos, pegou de surpresa as entidades de modalidades menores,  cujo quadro de funcionários é mínimo. Tem gente trabalhando quase que dia e noite para cumprir o que ficou estabelecido.

 

Agora, cá entre nós,  traçar metas e planos a serem  realizados até os Jogos  em apenas 14 dias é danado.

Por Maria às 12h36

24/11/2009

A história do Grêmio é linda



 

Deixa-me preocupado a pressão que a diretoria do Grêmio vem sofrendo para que o clube seja representado  nas rodadas finais do Brasileiro por  equipe reserva, numa forma de não favorecer o Internacional, que ainda luta pelo título.  Esporte não é isso. Se o apaixonado torcedor pensar assim, a gente condena mas de certa forma até entende. Mas partindo de ex-dirigentes, conselheiros, portanto, figuras públicas, não tem cabimento.

Quando se entra numa competição, seja ela qual for, é para ganhar. Trocar titulares por reservas para facilitar resultados para adversáriosé abominável.  Mas, na semana passada, o presidente Duda Kroeff  declarou publicamente que enquanto estivesse na presidência isso não aconteceria. Uma  atitude digna,  honesta, embora seja obrigação de todos nós. Hoje vem a notícia, através da internet, com Kroeff admitindo antecipar as férias dos titulares, o que levaria o  Grêmio a enfrentar o Barueri, no Estádio Olímpico, e o Flamengo, no Maracanã, com jogadores reservas. O Internacional, o grande rival do Grêmio,depende do tropeço do Flamengo e do líder São Paulo para chegar ao título.

O Grêmio está marcado por grandes feitos, grandes conquistas. Sua história é linda e não pode ficar maculada.

 "Até a pé nós iremos. Para o que der e vier. Mas o certo é que nós estaremos com o Grêmio, onde o Grêmio estiver" 

Esta frase do hino retrata fielmente o sentimento puro, o sentimento do bem. 

 

Por Maria às 11h51

23/11/2009

A bênção, João de Deus!

 

 A decisão da Copa Sul-Americana não acontecerá num bom momento para o Fluminense. Até porque, este primeiro confronto contra  LDU será em Quito, a 2.850m. E a equipe equatoriana vai impor aquela correria. Vejam a maratona  do Fluminense nestas duas últimas rodadas do Brasileiro: a delegação tricolor seguiu ontem de Recife para Quito em vôo fretado e a chegada acontece nesta tarde. O ideal seria chegar na quarta-feira, dia do jogo, já que não haverá tempo para adaptação à altitude. Dizer que o problema é muito mais psicológico do que físico não é sério. Já estive diversas vezes em Quito e tem influência sim.  Vi muita gente passar mal: jogadores, jornalistas, gente da comissão técnica, torcedores que acompanharam...

 

Terminada a partida em Quito, a delegação embarca  de volta também em vôo fretado e chega na manhã de quinta. Domingo, o time joga contra o Vitória, no Maracanã. Três dias depois, quarta-feira, Flu  e LDU se enfrentam no Maracanã, disputando o título. Pelo menos, o jogo será ao nível do mar e com a torcida a favor.  Só que a maratona não acaba por aí. Sábado, a equipe tricolor viaja para Curitiba e joga no dia seguinte com o Coritiba, no Couto Pereira, na rodada final do Brasileiro. Pode ser que até lá, o Fluminense entre em campo com a presença quase garantida na Série A do ano que vem. 

 

Galera tricolor, é cruzar os dedos,  pensar positivamente para que tudo dê certo e pedir "A bênção, João de Deus", claro, rezando três Ave Maria e três Padre Nosso.  

 

 ERRATA: Gente, desculpa. O espaço entre o A e o b de benção não saiu. Mas já corrigi. Ufffff  ... só vi agora de manhã.

Por Maria às 20h38

Ei... psiu... alguém viu o Flamengo por aí?

Será que o Flamengo que entrou em campo ontem era o Flamengo que vinha subindo na tabela e fez seu torcedor acreditar no título? Aquele Flamengo sumiu. De repente, foi sequestrado. Aliás, houve grande exibição rubro-negra, mas na arquibancada pela torcida que lotou o Maracanã e proporcionou o maior público do Brasileiro (quase 84 mil pessoas). Mas como futebol se ganha no campo. Os rubro-negros perderam excelente oportunidade de se tornarem líderes. Como explicar o inexplicável? Eu não sei, tudo fica tudo na base do achômetro (eu acho, tu achas, ele acha... nós achamos... e por aí vai). Mas vou tentar...

Sem querer tirar o mérito do Goiás, que brilhou e fez grande partida, acho que um time que luta pelo título, entra em campo para disputar uma partida em que a vitória lhe assegura a liderança na tabela e este jogo é em casa, esse time tem obrigação de jogar muito mais determinado do que o Flamengo ontem. Que não vencesse, como não venceu, mas jogasse de forma inteligente,  ocupando os espaços do campo e com muitas opções de jogada. E nada disso aconteceu. O time se apequenou e foi engolido pelo Goiás. E olha que o Flamengo dos últimos jogos era quase perfeito. O 0 a 0 disse o que fez o Flamengo.

Pet, o craque da equipe e um dos melhores deste Brasileiro, nada conseguiu. Adriano não foi decisivo como de costume. Léo Moura e Juan não apareceram - de repente foram barrados na bilheteria e olha que os dois são excelentes laterais.

Méritos para o Goiás. Fernandão quase marcou no primeiro tempo e a equipe goiana parecia mais sólida. O Flamengo atacou na base do abafa, do desespero.  Bruno atuou como atacante inúmerias vezes ... olha o desespero. E não é assim que se ganha jogo. Pode ser campeão? Claro que pode. Mas se tivesse assumido ontem a lideranã as chances para conquistar o título seriam bem mais reais. Agora, a equipe rubro-negra vai depender de novo tropeço do São Paulo.

Para terminar: se alguém ver o time do Flamengo por aí...  aquele time que estava tão bem nesta reta de chegada, avisa para a diretoria do clube. Aquele time sumiu...  

Por Maria às 15h51

Jogador precisa aprender o be-a-bá

Jobson tira a camisa para comemorar o gol da vitória

 

Jobson,  autor de dois golaços e grande destaque do Botafogo na vitória de 3 a 2 sobre o São Paulo, resultado que  mantém o time fora da Zona de Rebaixamento e dependendo apenas dos seus resultados para não cair, acabou pisando na bola. Depois de marcar o gol da vitória e tomado de grande euforia, correu em direção à torcida e tirou a camisa para comemorar. Como já havia recebido um cartão amarelo, foi expulso.

Resultado: para a partida contra o Atlético Paranaense, domingo, na Arena da Baixada, o Botafogo não contará com o seu mais eficiente atacante. Só não consigo entender como alguns jogadores tiram a camisa para festejar o gol, sabendo que serão advertidos. Ainda mais quando já tinha recebido um amarelo. Agir desta forma ou avançar um sinal  de trânsito diante de um guarda é castigo certo. Não tem erro. 

E Jobson fará muita falta ao time ao cumprir suspensão automática. Será que ninguém conversa com os jogadores sobre esse tipo de problema? Vejam bem, isso não acontece apenas no Botafogo. O que mais se vê  por aí é jogador comemorar o gol tirando a camisa ou subindo no alambrado, atitude também punida com o cartão amarelo.

 No comentário do Alexandre, ele informa que o Jobson estaria suspenso no próximo jogo, independentemente da expulsão. Ainda assim, em razão dos acréscimos, o Botafogo, que já estava sem o Juninho,  correu o risco ainda maior de ceder o empate. Nem vou falar da expulsão do Rodrigo...  

Para terminar: a regra é absurda? Eu acho muito mais do que absurda. O jogador não está ofendendo ninguém, apenas comemorando. Só que ela existe.

Por Maria às 01h58

Fla tropeça e São Paulo continua líder

O Flamengo jogou pela janela a liderança do Brasileiro. Com todo e merecido respeito ao Goiás, que tem um técnico competente e um time de excelente nível, quem luta para ser campeão não pode deixar de ganhar em casa na hora do vamos ver. Claro que tudo pode acontecer nestas duas últimas rodadas, mas o Flamengo dependerá de outro tropeço do São Paulo e não acredito niss. Lamentável para os torcedores que proporcionaram linda festa no Maracanã e estabeleceurecorde de público no Brasileiro. 

Mas futebol é assim. Não era dia de Flamengo.  Adriano, goleador de primeira qualidade, líder da artilharia da Série A, nada conseguiu.  O São Paulo agradeceu pq  mesmo perdendo para o Botafogo, com o empate rubro-negro, manteve-se na liderança.  Caberá agora ao São Paulo enfrentar o time goiano, no Serra  Dourada. O Flamengo jogará com o Corinthians,  no Brinco de Ouro (Campinas), e na última rodada a equipe de Ricardo Gomes receberá o rebaixado Sport e a de Andrade enfrentará a do Grêmio, no Maracanã.  

O Internacional conseguiu grande resultado: derrotou o Atlético Mineiro em pleno Mineirão e agora  está em terceiro. Bem ou mal, pode perfeitamente sonhar com o título. Mas para que isso aconteça precisará que São Paulo e Flamengo percam pontos nas rodadas finais.

Por Maria às 01h21

22/11/2009

Luta de Botafogo e Fluminense continua indefinida

O Botafogo continha a depender dos seus próprios resultados para não ser rebaixado. Derrotou o São Paulo por 3 a 2, no Engenhão, e se manteve em 16.o lugar. Seu próximo  jogo será  contra o Atlético Paranaense, na Arena da Baixada, e seu adversário também luta para não cair.  O último compromisso alvinegro será contra o Palmeiras, no Rio. Para aumentar a dificuldades da equipe alvinegra, Juninho, Jobson (destaque do jogo, com dois gols) e Rodrigo Dantas. O Botafogo jogou os minutos finais com oito jogadores, enquanto o São Paulo com 10, já que Richarlyson também recebeu cartão vermelho.  O gol marcado por Renato aconteceu em lance polêmico, já que Jobson,  o autor do passe, estava adiantado quase na linha de fundo. Houve muita reclamação, mas os alvinegros afirmam que a bola recebida por Jobson veio de um jogador da equipe paulista.

O Fluminense deu verdadeiro show de bola, em Recife, e derrotou o Sport por 3 a 0. Entretanto, o resultado não melhorou sua situação na tabela e a equipe tricolor continua em 17o. lugar. Os dois últimos jogos do Fluminense serão contra o Vitória, no Maracanã,  e Coritiba, no Couto Pereira. Um detalhe de fundamental importância: assim como o Botafogo, o time tricolor não cairá se vencer os dois jogos que fatam.

Como Fernando, nosso leitor, lembra bem, vamos atualizar o post: "Coritiba e Atletico Paranaense também só dependem deles para não serem rebaixados". 

Por Maria às 19h43

Parabéns América

 

Ao derrotar o  Nova Iguaçu, o América, que tem o apoio de Romário, voltou para a elite do futebol do Rio e sua imensa torcida comemora.  Por que imensa? Calma, gente,  explico: costuma-se dizer que o América é o segundo clube de todo carioca. E aí, a gente soma as galeras de Fla, Vasco, Botafogo, Flu e por aí vai. E mais, não é clube apenas do  pessoal da Zona Norte.  Num belo condomínio localizado na Zona Sul, o morador exibe na varanda a bandeira do clube do seu coração.  

Por Maria às 16h02

Tem torcedor que não dormiu

Rodada importantíssima em termos de definições. Botafogo recebe o São Paulo, no Engenhão, e para os dois só vale o “vencer ou vencer”. O empate será tão amargo quanto a derrota. O vitorioso estará bem próximo do seu objetivo: o São Paulo do título e o Botafogo terá dado passo importante para se livrar do rebaixamento..

 

O Fluminense, que jogará contra o Sport, na Ilha do Retiro,  ficará em situação terrível se perder e o Botafogo ganhar. A vitória o mantém vivo na luta pela permanência na Série A.

 

Outro jogo de tirar o fôlego do torcedor será Flamengo x Goiás, no Maracanã. A vitória  manterá  o clube rubro-negro na luta pelo título e o tornará lider caso o São Paulo tropece diante do Botafogo. Atlético Mineiro e Internacional, no Mineirão, será outro jogão e as duas equipes lutam por uma vaga no G4.

 

Sorte para todos.

Por Maria às 12h44

Remo em ritmo de Rio 2016

 

Fotos scullerbrasil

Depois de visitarem a garagem de remo do Botafogo, dirigentes japoneses não resistiram aos encantos da Lagoa e saíram no quatro com para ver de perto as belezas naturais

 

Em viagem oficial , dirigentes da Federação Japonesa de Remo vieram ao Rio para conhecer o local onde serão disputadas as competições de remo. Recebidos na sede náutica do Botafogo pelo vice-presidente de remo, Marcelo Murad, e pelo técnico Alexandre Xoxô, os japoneses ficaram encantados com a paisagem que cerca a Lagoa Rodrigo de Freitas. Eles não esconderam a admiração ao se depararem com o Morro do Corcovado com o Cristo Redentor lá no alto, as ilhas Piraquê e Caiçaras, enfim, até pelo movimento de ciclistas, de gente correndo e caminhando pela ciclovia. Tão maravilhados ficaram,  apesar do forte calor, os veteranos dirigentes remaram um quatro com para ver de perto as belezas naturais.

Pela reação do grupo durante a visita à garagem do Botafogo, os japoneses farão propaganda positiva do Rio como sede olímpica em 2016, pelo menos no que se diz respeito ao cenário que envolve a raia olímpica de remo.  É bom lembrar que Tóquio foi uma das cidades que concorreram com o Rio pelo direito de realizar os Jogos. 

Por Maria às 12h01

Sobre o autor

Antonio Maria Filho é jornalista esportivo desde 1970 e cobriu as últimas 9 Copas do Mundo. Esteve a serviço em duas Olimpíadas e dois Mundiais sub-20. Também marcante em sua carreira foi seguir todos os passos do Flamengo na conquista do Mundial Interclubes, em 1981, no Japão, na final contra o Liverpool.

Sobre o blog

Baseado no Rio de Janeiro, o Blog do Maria dirige o olhar treinado do experiente jornalista para o futebol atual e traz bastidores do mundo esportivo acumulados ao longo de quatro décadas de carreira.