Blog do Maria

16/01/2010

Botafogo e Vasco vencem, mas não convencem

Botafogo e Vasco venceram, lideram o Grupo B, mas ficaram devendo. Na vitória de 3 a 2 sobre o Macaé, em Campos, a equipe alvinegra errou muito e foi de uma irregularidade espantosa. Herrera marcou no comecinho do jogo mas deixou o Macaé virar com gols de André e Fernandão. A torcida gelou no Estádio Godofredo Cruz, mas para sorte do time dirigido por Estevam Soares, Lúcio Flávio empatou e quase ao final do primeiro tempo Marcelo Cordeiro desempatou. E ficou nisso. Vencer é sempre bom, mas para quem pensa em título tem que mostrar muito mais.

O Vasco também passou o maior sufoco e jogando em casa, no Estádio de São Januário. O Tigres começou melhor, criou inúmeras chances, mas não teve competência para marcar. E o gol de Fagner, aos 38m do primeiro tempo, aconteceu num lance em que o goleiro Marcos Paulo falhou de forma bisonha ao tentar dar um soco na bola. Dodô pouco ameaçou.

O América de Romário e dirigido por Bebeto fez 1 a 0 no Madureira logo no primeiro minuto, gol de Claudemir, mas acabou derrotado por 2 a 1. Marcelo Ramos virou o resultado marcando duas vezes. O América poderia ter empatado no segundo tempo, mas Pati desperdiçou um pênalti.

Flamengo e Fluminense, fortes candidatos ao título estadual, estréiam amanhã.  O time rubro-negro, dirigido por Andrade, enfrenta o Duque de Caxias, no Maracanã, desfalcado de vários titulares: a equipe comandada por Cuca, vai pegar o Americano, no Godofredo Cruz.  

 

Por Maria às 22h08

Palmeiras mostra sua cara e goleia na estréia

Alô Corinthians, São Paulo e Santos. Viram diretinho a estréia do Palmeiras no Paulistão? A equipe de Muricy Ramalho mostrou que não está para brincadeira:  goleou o Mogi Mirim por 5 a 1 e sua torcida deixou o Palestra Itália de alma lavada. Pelo que se viu, Vagner Love e Obina não fizeram falta. Quem brilhou? O Verdão jogou bem, mas Diego Souza, destaque do Brasileiro e premiado no final do ano na festa da CBF, sobrou na turma. Além dos dois gols, deu trabalho à defesa adversária. Os outros gols foram marcados por Léo, Robert e Cleiton Xavier (pênalti). Geovane marcou para o Mogi.

No ano em que comemora o centenário, o Corinthians promete fazer e acontecer. Sem Ronaldo Fenômeno, que ainda aprimora a forma física, vamos ver o apetite do timão fora de casa contra o Monte Azul. O São Paulo recebe a  Portuguesa, no Morumbi, e o Santos enfrentará o Rio Branco, no Estádio Dr. Décio Vitta.

Por Maria às 21h20

Fla estréia com apenas três da decisão do Brasileiro

 

                                                                                              Divulgação

       

Bruno, Deivid e Willians, os únicos que começaram contra o Grêmio na final do Brasileiro

 

 

 

A festa do futebol ecomeça hoje. O Brasil inteiro comemora, mas vamos torcer para que o calendário de 2011 permita que os clubes consigam trabalhar melhor no período de pré-temporada. A falta de tempo leva muitos times a entrar em campo com seus jogadores longe da forma ideal. E o pior: sem contar com alguns dos seus principais astros por razões variadas, como por exemplo, a complicada burocracia de transferência.  Se o recesso fosse maior, como acontece na Europa,  seria diferente.

O Flamengo indiscutivelmente  forte candidato à conquista do tetracampeonato, foi o mais prejudicado. Estreará contra o Duque de Caxias, amanhã, no Maracanã, sem vários titulares: Ronaldo Angelim custou a renovar o contrato e quando se apresentou não teve tempo para entrar em forma; Petkovic ainda resolve problemas particulares; com mais tempo, Léo Moura, Juan, Toró e Adriano poderiam se recuperar dos problemas médicos. E sem citar Vagner Love, cuja novela só terminou ontem e, claro, como inscrevê-lo?.

Do time que disputou a última rodada do Brasileiro e conquistou o título apenas Bruno, David e Willians estão em condições de jogar, pois, além dos já citados, Aírton foi para o Benfica e Zé Roberto para o Shalke 04.  Naquele jogo da vitoria de 2 a 1 sobre o Grêmio, a equipe iniciou com: Bruno, Leonardo Moura, Ronaldo Angelim, David e Juan; Aírton, Toró, Willians e Petkovic; Zé Roberto e Adriano.

O Botafogo não conseguiu resolver a situação do uruguaio El Loco Abreu, o jogador que se tornou destaque no noticiário desde que foi anunciado, mexendo com o coração do torcedor alvinegro.  Pior, ninguém no clube pode garantir com exatidão o dia em que tudo estará resolvido.

O Fluminense, outro candidato, quase estréia sem os seus reforços. Mas, nos acréscimos, dirigentes tricolores e da Federação do  Rio conseguiram acertar todos os detalhes burocráticos e inscreverem Júlio César, Everton, Leandro Euzébio e Willians. Uff... mas que sufoco.

O Vasco também sofreu, mas já no finalzinho da partida regularizou as transferências de Léo Gago, Ernani, Jumar, Rafael Coelho e Gustavo - só os três primeiros foram relacionados por Vagner Mancini para a partida de hoje contra o Tigres.

Tropeçar na estréia não significa um mal irreparável. Mas que tropece por seus erros dentro de campo, com a bola rolando. E não porque o tempo foi curto demais para superar a burocracia e recuperar a forma física dos jogadores. E não aceito a história de que Estadual é a preparação para o Brasileiro.

Primeira rodada da Taça Guanabara: hoje, grupo A – Bangu x Boavista, em Moça Bonita, e Olaria x Volta Redonda, na Rua Bariri. Grupo B – Madureira x América, em Conselheiro Galvão, Vasco x Tigres, em São Januário, e Macaé x Botafogo, no Godofredo Cruz (Campos). Amanhã, grupo A – Flamengo x Duque de Caxias, no Maracanã, e Americano x Fluminense, no Godofredo Cruz. Grupo B – Friburguense x Resende, no Eduardo Guinle (em Friburgo).

 

EM TEMPO: Toró foi liberado e, então, são quatro os jogadores que começaram a partida contra o Grêmio na última e decisiva rodada do Brasileiro.

 

Por Maria às 12h52

15/01/2010

Vagner chegou e jurou "love" ao Mengão

                                                    Divulgação

Patricia Amorim dá boas vindas a Vagner Love

   Para atualizar o post anterior "Bomba.. bomba. Esta é de primeira".

 Vagner Love vestiu finalmente a camisa rubro-negra. E, fazendo juz ao "Love" do sobrenome/apelido, declarou todo seu amor ao Flamengo. E eu acredito. Ele foi criado em Bangu e como a torcida do tradicional Bangu é pequena, a meninada de lá é quase toda rubro-negra. O atacante das trancinhas rubro-negras tem tudo para brilhar desde que se cuide (acho até que vai) e saiba escolher as companhias para os dias de foga. Ajuda ele nisso, Adriano.

Vagner Love precisa aproveitar esta transferência para se firmar definitivamente e mostrar suas qualidades, coisa que para o torcedor palmeirense ele não conseguiu no Verdão. É esperar para ver.

Por Maria às 21h24

Bomba... bomba. Esta é de primeira!

 

A apresentação de Vagner Love programada para hoje às 16h30m, na Gávea, foi adiada para às 18 horas. Motivo mais do que justo: o atacante precisou passar no salão de beleza para trocar a cor das trancinhas: a cor azul dará lugar à vermelha. Que coisa, não é?

Por Maria às 15h30

Adriano, Dodô, El Loco ou Fred?

Como não sou "gato mestre" evito fazer previsões. Ainda mais quando nem todos os reforços estão com a situação regularizada ou em perfeitas condições físicas. Mas Estadual do Rio começa sábado e fazendo de contas que se houver problemas para esta rodada na outra já estará tudo resolvido, aponto o Flamengo favorito até pelo que mostrou na brilhante conquista do Brasileiro. Mas isso só se tornará verdade quando a bola rolar. Ai a gente pode ver quem é quem. E mais: a luta pela artilharia tem tudo para ser interessante: Adriano (Flamengo), Dodô (Vasco), El Loco (Botafogo) e Fred (Fluminense), Gente, a ordem da lista é alfabética. Outra coisa: quem não estiver inscrito até às 18 horas de hoje não joga e estréia fica adiada. Na lista, entre outros, El Loco, Vagner Love, Júlio César. Já o problema do Imperador é bolha no pé.

BOTAFOGO

 O Botafogo aposta principalmente na  dupla de ataque: El Loco Abreu e Herrera. Pode ser, mas o problema é que até agora El Loco ainda não treinou com bola. No mais é parecido com o da temporada passada. A torcida espera que o time jogue inspirado na dedicação e valentia de Leandro Guerreiro.  

 FLAMENGO

Nenhum time é campeão brasileiro por acaso. Acho até que o time rubro-negro melhorou em relação à temporada passada. Adriano terá como companheiro de ataque Vagner Love, que não é craque, mas é bom jogador tanto que já passou pela seleção brasileira. No banco, o ataque contará ainda com Obina, que já foi "ídolo aplaudido" e "atacante amaldiçoado". Chegou a hora de o baiano mostrar quem de fato é. Qualidades ele tem.

 

FLUMINENSE

O  Fluminense é uma das forças do Estadual do Rio. Sua equipe é jovem, mas experiente. A reação tricolor no returno do Brasileiro, conseguindo fugir do rebaixamento com expressivas atuações prova isso.  E ainda se reforçou do lateral esquerdo Júlio César e do apoiador Ewerton. Defende-se bem e ataca com Conca, Maicon e Fred, está com os seus setores bem equilibrados, não é Cuca?

 

VASCO

Para mim, o Vasco é uma incógnita. Como estará Dodô¿  A força vascaína dependerá muito de como estiver o artilheiro dos gols bonitos. Carlos Alberto sozinho não pode resolver.  Outro ponto de interrogação: o técnico Vagner Mancini conseguirá ter o time nas mãos, saber quem é quem em tão pouco tempo¿  

Por Maria às 14h39

Zinedine Zidane lá e Rogério Ceni cá

    

Se Zidane pode presidir o Real Madrid, Rogério Ceni daria show como presidente do São Paulo

Zinedine Zidane não brinca. Assessor e braço direito de Florentino Pérez, que preside o Real Madrid, o ex-jogador e eterno ídolo do futebol francês e do próprio clube espanhol, não esconde o seu desejo de um dia presidir o Real Madrid.  Chegou a confessar: “É um prazer estar ao lado de Florentino, que luta para montar uma equipe que faça história no clube. Eu estou aprendendo muito e Florentino me dá liberdade para conhecer todos os setores do clube. Meu sonho,algum dia, seria dirigi-lo”.

Se é assim, lanço desde já Rogério Ceni como candidato à presidencia do São Paulo assim que encerrar a carreira. Sou muito mais Ceni exercendo esta função do que Zidane. Além da sua conduta exemplar como homem e como atleta, do seu nível intelectual, ele conhece o clube São Paulo como poucos.

Se estaria disposto a enfrentar este desafio é outra história, mas que será um grande presidente não tenho a menor dúvida. Não precisa ser já, pois como goleiro tem contrato até 2012. A gente espera.

Por Maria às 12h10

14/01/2010

Fla tem Vagner Love. E Adriano, quando?

Nunca vi uma ferida, ou melhor, uma bolha demorar tanto tempo para sarar quanto essa que apareceu no pé do Adriano.  As férias terminaram, os jogadores se reapresentaram,  treinaram... e mais: Vagner Love acertou sua transferência para o Flamengo, depois da interminável novela com Palmeiras e CSKA, mas a queimadura no pé do Imperador nada de ficar boa.  Na minha época de moleque jogava pelada de rua descalço (não jogava nada, claro), mas pisava em pedras, chutava meio fio, dava topada em paralelepípedo, mas logo logo ficava bom.

 A torcida rubro-negra está atenta e, claro, pensando positivamente para que o problema do artilheiro do Campeonato Brasileiro termine de uma vez.

 Ah... ia esquecendo: torce para que o trio Adriano, Obina e Vagner Love se cuide dentro e principalmente fora de campo.  

Por Maria às 12h51

Uma viagem no tempo ao destruído Haiti

 

                                                                                                             (Arquivo particular)

 

     A população de Porto Príncipe saiu às ruas para saudar a  passagem da seleção brasileira

      (UOL)

    Show de Ronaldo e Ronaldinho diminuiu a dor dos haitianos

A tragédia vivida pelo sofrido povo haitiano me faz viajar no tempo e recordar o carinho recebido pela seleção brasileira em Porto Príncipe, num amistoso em que Ronaldo Fenômeno e Ronaldinho Gaúcho foram recebidos como verdadeiros reis. Isso aconteceu no dia 18 de agosto de 2004. Vejam como são as coisas: o jogo era uma forma de mostrar ao mundo o sofrimento daquela gente em razão de violentos temporais e ressacas que, ocorridos dois meses antes, causaram a morte de aproximadamente 1.600 pessoas. Agora, cinco anos e meio depois, a cidade é novamente arrasada por devastador terremoto.

O que houve de mais marcante naquela rápida passagem por Porto Príncipe não foi propriamente o show de bola de Ronaldinho Gaúcho, autor de três belíssimos gols na goleada de 6 a 0 (Roger, dois, e Nilmar completaram), mas a forma carinhosa como a população recebeu os brasileiros desde o desembarque em Porto Príncipe. Assim que o avião aterrissou, e ainda sob o impacto das imagens que todos viam pelas janelas, o técnico Carlos Alberto Parreira disse ao grupo. 

- Eu nem preciso lhes dizer  sobre a importância desse jogo, não é? Vocês mesmo podem sentir o quanto são importantes para essa gente tão sofrida.  

 A seleção: Júlio César (Fernando Henrique), Belletti, Juan (Cris), Roque Júnior e Roberto Carlos (Adriano); Gilberto Silva (Renato), Edu (Magrão), Roger (Pedrinho) e Juninho Pernambucano, Ronaldo (Nilmar) e Ronaldinho Gaúcho. O árbitro Paulo César de Oliveira também participou da festa.

Ao longo dos oito quilômetros que separam o aeroporto do Estádio Sylvio Cator, os dois lados das ruas e avenidas estavam tomados de haitianos. Milhares e milhares de pessoas, centenas delas usando a camisa da seleção brasileira, gritavam o tempo inteiro. Os jogadores foram embarcados em carros blindados Urutu, do Exército Brasileiro e com as iniciais ONU, numa forma de protegê-los de possíveis atentados, o que logo logo se percebeu impossível tal o carinho dos  haitianos. Nós da imprensa, ocupamos a caçamba de dois caminhões.

Quem participou daquele evento jamais esquecerá. Da arquibancada, gritos e incentivos exclusivamente para o Brasil. E ai do haitiano que fizesse falta num jogador brasileiro. Na Tribuna de Honra, o presidente Lula. No momento em que o goleiro Júlio César foi substituído por Fernando Henrique, muitos aplausos. Inclusive do presidente. Alguém aproveitou para cutucá-lo: "Batendo palmas para o Fernando Henrique"? A resposta bem humorada do presidente: "Não tive outra saída".

Terminado o jogo, o trajeto de volta ao aeroporto também atraiu a multidão. No vôo de retorno ao Brasil, o assunto era um só: ainda emocionados, todos lamentavam o sofrimento daquela gente em razão da tragédia tão recente que vitimara centenas e centenas de pessoas em Porto Príncipe.


 

 

 

 

 

Por Maria às 00h24

13/01/2010

"Salve o tricolor paulista..."

Três semanas foram suficientes para esgotar a primeira edição do livro "Os 10 mais do São Paulo", último lançamento da Coleção Ídolos Imortais, da Maquinária Editora. Nela, torcedores ilustres como ator Cássio Gabus Mendes, o dirigente Marco Aurélio Cunha e os jornalistas Alberto Helena Jr. e José Maria de Aquino, entre muitos outros, revelam a relação dos dez melhores jogadores que vestiram a camisa do tricolor paulista. Mas a segunda já está vindo por aí.

O livro mostra um pouco da façanha de Leônidas da Silva e Bauer, passando por Canhoteiro, Roberto Dias, Pedro Rocha, Dario Pereyra, Serginho, Careca, Raí até chegar a Rogério Ceni. E leva o torcedor do tricolor do Morumbi a viajar no tempo e reviver emocionantes momentos de grandes ídolos do clube.

Por Maria às 22h41

12/01/2010

Tem coisas que só acontecem no futebol do Rio

O Campeonato Estadual do Rio de Janeiro começa neste fim de semana e o prazo para a  inscrição de  jogadores na federação termina amanhã (quarta-feira). Por incrível que pareça, Fluminense e Vasco  não estão nem aí. Suas assessorias se limitam a informar que tudo será resolvido a tempo – se os tricolores não regularizam  Julio César, Thiaguinho, Willians, Leandro Euzébio e Everton;  o Vasco precisa inscrever 11 jogadores, um time inteiro. Nem Dodô tem condições de jogo.  Por que deixar tudo para o último dia? 

O Flamengo manteve praticamente a base da temporada passada e o Botafogo, assim como o clube rubro-negro, está com tudo em dia. Como se não bastasse, existe ainda a duelo federação x clubes. Um dos muitos focos do confronto: a marcação do  local de algumas partidas. Felizmente, agora de noite os dirigentes chegaram a um acordo em relação ao uso do Maracanã. O problema sobre o preço dos ingressos continua. Por essas e outras, o torcedor do Rio vai perdendo o gosto pelo Estadual e passa a considerá-lo apenas como preparação para a temporada. Ou melhor: para o organizado Campeonato Brasileiro.  

Só espero que o ditado “o que começa mal, termina mal” não seja verdadeiro.

 

 

Vai dar Roberto Carlos na cabeça

Para dizer que não falei do Paulistão, lá vai a bomba: para mim, Roberto Carlos será o grande destaque do Campeonato Paulista. Claro que depois dessa serei apedrejado. Mas é o que eu acho. Penso ainda que o Corinthians deu show em termos de contratação e que tem tudo para conquistar o título. Como segunda força vem o São Paulo, seguido de  Palmeiras e Santos.

 

Kléber será o destaque do Mineiro ou vai embora?

Em Minas, aposto em Kleber como destaque do campeonato desde que... repetindo: "desde que..." não se transfira no janelão europeu que será aberto em fevereiro. Vejo o Cruzeiro mais forte em termos de jogadores, mas time dirigido por Vanderlei Luxemburgo é sempre muito competitivo.

 

Grêmio se reforça e é favorito

No Rio Grande do Sul, considero o Grêmio, reforçado de Borges e Hugo, o favorito ao título gaúcho.  Ainda mais se conseguir Marcelo Moreno. Até porque, o Internacional corre o risco de perder excelentes jogadores para os clubes europeus. 

 

Botafogo vem forte

O campeonato do Rio me parece equilibrado. Alguma coisa me diz que o Botafogo vai bombar. 

Por Maria às 20h52

11/01/2010

África, um continente em estado de guerra

                                                                   Fotos do Maria

 

Pelé é cercado por fãs antes do treino em Kaduna, na Nigéria

 

. \Pelé, entre Edevaldo (E) e Rubens Galaxe, pouco antes do jogo

Ainda me emociono ao lembrar do carinho das crianças na porta do hotel, em Luanda

 

O atentado sofrido pela seleção do Togo, em Cabinda, distrito de Angola, não me surpreendeu. A violência que até hoje assola os países africanos é antiga e  acredito que continuará por algum tempo. A África é  um continente misterioso: se é rica em belezas naturais, ainda sofre  os efeitos da forma impiedosa como foi colonizada durante séculos, sem que sua população nativa tivesse acesso à modernidade. Quando os colonizadores partiam, deixavam para trás países sem qualquer estrutura e que voltavam a viver de forma quase primitiva, por total desinformação.

A Nigéria também sofreu e mesmo depois de sua independência enfrentou sérios problemas, apesar de ser rica em petróleo. Lá estive com o Fluminense e Pelé, que chegou a jogar alguns minutos pela equipe tricolor. Para evitar maiores riscos quase não saíamos do hotel. O país vivia guerra civil. No dia do jogo, o ônibus que levava a delegação para o estádio e pertencia ao governo nigeriano foi fechado  por um outro de forma proposital e quase despencou de cima de um viaduto. Os seguranças chegaram a engatilhar as metralhadoras. Por sorte, a fileira do veículo agressor parou e a nossa seguiu. Ninguém me contou isso: eu estava embarcado com o grupo.

 A África do Sul, país da Copa do Mundo, talvez seja o mais estruturado da África negra e pode ser comparada aos países da África árabe, como Argélia, por exemplo. Ainda assim, quem viajar para o Mundial é bom se informar sobre os cuidados que deverá tomar para não correr qualquer risco.

E se o assunto é África por causa do atentado sofrido pela seleção de Togo, contarei minha experiência em Angola, onde estive duas vezes. Na primeira, como atleta para disputar os Jogos Luso-Brasileiros. Conheci Luanda, Lobito, Benguela e Catumbela.  As cidades eram lindas, muito bem cuidadas, mas o povo africano, coitado, era tratado de forma brutal pelos colonizadores.  Como aquela gente sofria. A guerra civil parecia interminável.

Vivi inclusive sério problema num passeio que fizemos pelos arredores de Luanda. Sentamos num restaurante e um menininho negro, de uns sete anos, aproximou-se de uma gaiola do restaurante. O dono  saiu com uma vassoura na mão e acertaria a cabeça da criança se eu não intercedesse. O menino correu para dentro do mato, ainda bem.  O homem veio aos gritos protestando que eu não tinha que me meter nos problemas entre brancos e negros.  O tempo fechou. Depois, soube que ele apresentou queixa oficial à chefia da delegação, mas ficou nisso.

Anos depois, voltei com o Fluminense. A Interbrás, subsidiária da Petrobrás, lançava produtos eletrodomésticos marca Tama, Pelé era o garoto propaganda. Os angolanos conquistaram a independência, mas a miséria era absoluta. Até porque, como viver num país industrialmente destruído e sem capacidade intelectual para resolver os mínimos problemas. Não fabricavam nada. Nada mesmo. Tudo tinha que ser importado e dinheiro não havia. Um exemplo: passávamos em frente a uma farmácia e só sabíamos que era farmácia por causa do letreiro. No seu interior não havia nada. As prateleiras totalmente vazias.

A porta do nosso hotel vivia entupida de gente. Mas, a paz não existia. O país sofria constantes ataques da Operação Unitas, grupo revolucionário liderado por Jonas Savimbi.  Quando viajamos para Huambo, onde o Fluminense jogaria, o comandante anunciou pelo sistema de som que, para evitar o fogo da artilharia da Unitas, que ocupava as florestas que cercavam Luanda,  a altitude de cruzeiro seria alcançada através de vôos em círculos sobre a cidade. E assim foi feito. O procedimento também era usado no momento da aterrissagem.

A delegação do Fluminense e todos nós fomos tratados muito bem. Até hoje não esqueço o olhar meigo e carente das crianças que viviam nas imediações do hotel em Luanda.

Lá se vão quase trinta anos da minha última visita à Angola e a guerra parece sem fim.

 

 

Por Maria às 15h32

10/01/2010

Bomba... Ronaldinho Gaúcho largou o Cirque du Soleil

   

Será que Ronaldinho Gaúcho está com a mesma vontade deste menino do Grêmio?

 

Dunga tem todos os motivos do mundo para não pensar em Ronaldinho Gaúcho na seleção. Porém, aquela coisa nebulosa que envolvia o craque parece estar se dissipando. Aos poucos, Ronaldinho Gaúcho começa a ressuscitar e a reviver aquele Ronaldinho Gaúcho que, por duas vezes, recebeu o prêmio da Fifa de melhor do Mundo. De longe, fica difícil bancar  a validade deste meu raciocínio. Mas, as imagens que chegam da Europa me fazem acreditar na transformação. O simples sorriso  já parece diferente e me faz lembrar do Ronaldinho Gaúcho campeão do mundo em 2002.

Não estou dizendo isso em razão desta vitória de 3 a 0 do Milan sobre a Juventus, em Turim. Sinto isso no ar.  Mas que alguma coisa está mudando no jogador tenho quase certeza. A própria mídia italiana o tem tratado diferente, com mais respeito. Nos recentes jogos  que pude assistir, vi um jogador muito mais objetivo do que aquele que parecia entrar em campo para se exibir, como fazem os malabaristas do espetacular  Cirque du Soleil, esquecendo-se que futebol é guerra, batalha e não apenas show . Posso estar errado nesta minha linha de raciocínio, mas sei que Dunga tomará a decisão correta de levar ou não Ronaldinho Gaúcho para a África do Sul.

Digo e repito: acho que Ronaldinho Gaúcho pediu demissão do Cirque du Soleil e voltou a jogar futebol. E, se pediu mesmo, será bom para ele, para Dunga, para a seleção e para nós torcedores.

Por Maria às 22h33

Palmeiras x Vagner Love x Flamengo

Vagner Love é craque? Não, não é craque.  Um bom jogador, diria. Mas pela chata e desgastante disputa entre Palmeiras e Flamengo, iniciada antes mesmo do reveillon, fica a impressão que não existe no céu ou na terra nenhum atacante igual a ele.  Uma  "briga"  que só serve para desgastar dirigentes, torcedores e o próprio jogador. O pessoal do CSKA não está nem aí, desde que lhe paguem a cota da  transferência.

Claro que não se pode esquecer que Vagner Love brilhou nos juniores do Palmeiras e foi importante em 2003  na volta do clube paulista à Série A. Mas o momento do jogador é comum, nada demais. Ele pouco apareceu neste Brasileiro.  Acho até que produzirá mais em 2010. Menos, impossível.

Os dados que mostram  a performance de Vagner Love no Brasileiro de 2009: lançado contra o Barueri, em setembro, faltavam 16 rodadas para o final da competição. Porém, o jogador  não enfrentou Náutico, Goiás, Sport e  Grêmio. Nos seus  12  jogos pelo Verdão, marcou apenas cinco gols (Barueri, Cruzeiro, Santos, Avaí e Atlético Mineiro, menos de um a cada dois jogos). Contra Vitória (BA), Atlético (PR), Flamengo, Santo André, Corinthians, Fluminense e Botafogo, não deixou a sua marca.

Para concluir:  na 23 ª. rodada o Palmeiras liderava a Série A, com 44 pontos, e o Flamengo ocupava a 11ª. posição, com 31. Na 38ª., a última, o Flamengo conquistou o título, com 67 pontos, e o Palmeiras caiu para quinto, com 62, perdendo o direito de disputar a Libertadores.

 Importante: Vagner Love não é o único responsável por isso. A cota é igual para todos: dirigentes, integrantes da comissão técnica e, claro, os jogadores.

Mas quem sabe tudo se resolverá ainda neste domingo. Agora são 13h37m. Vamos aguardar.

Por Maria às 13h37

Sobre o autor

Antonio Maria Filho é jornalista esportivo desde 1970 e cobriu as últimas 9 Copas do Mundo. Esteve a serviço em duas Olimpíadas e dois Mundiais sub-20. Também marcante em sua carreira foi seguir todos os passos do Flamengo na conquista do Mundial Interclubes, em 1981, no Japão, na final contra o Liverpool.

Sobre o blog

Baseado no Rio de Janeiro, o Blog do Maria dirige o olhar treinado do experiente jornalista para o futebol atual e traz bastidores do mundo esportivo acumulados ao longo de quatro décadas de carreira.